Notícias

28
maio

Evite problemas! Confira 7 cuidados ao comprar um carro usado!

Apesar de ser uma compra que pode apresentar um bom custo-benefício, é fundamental avaliar cautelosamente diversos aspectos sobre o veículo que se pretende comprar.

Quer saber quais são os principais cuidados ao comprar um carro usado? É só continuar a leitura e conferir o nosso post!

 

  1. Preste atenção ao ruído do motor

Nem todos os motores de carro fazem exatamente o mesmo barulho. Alguns são mais ruidosos, e há aqueles em que pouco se ouve o barulho, devido à própria vedação do veículo.

No entanto, uma coisa é certa: um motor que está em boas condições faz um barulho constante. Assim, interrupções e ruídos de engasgado são um péssimo sinal.

Lembre-se de que o motor é a parte mais importante do carro e, portanto, uma das mais caras quando se trata de reparos. Por isso, comprar um automóvel que apresente sinais de motor ruim não é um bom negócio.

 

  1. Teste o carro

Obviamente, há alguns defeitos que só aparecem com o uso prolongado do veículo. No entanto, isso não tira a importância de fazer um test drive.

Dirigir o carro que você pretende comprar é a melhor maneira de verificar se há alguma alteração nos pedais do freio, acelerador e embreagem, problemas no câmbio e no volante, anomalias nos indicadores do painel (motor esquentando demais, por exemplo), entre outros.

Além disso, é importante fazer um teste para saber se o carro é confortável e se atende aos seus gostos pessoais em termos de design do painel e disposição dos controles, entre outros aspectos estéticos e funcionais.

 

  1. Faça uma vistoria completa

A vistoria feita por um profissional é uma das melhores formas de garantir que o veículo que você está comprando não tem vícios ocultos. Além disso, pequenos defeitos podem ser encontrados, que servirão para negociar a compra a um preço mais baixo.

Você pode e deve levar o carro a um mecânico de confiança antes de realizar a compra e solicitar uma inspeção mais detalhada no motor, por exemplo.

 

  1. Avalie os preços

Suponha que você decidiu comprar um carro mesmo ele apresentando alguns problemas, pois o preço parece vantajoso. Nesse caso, lembre-se de que é preciso calcular quanto será gasto para fazer as correções. Se o valor adicional dos consertos for próximo ao de um carro em melhor estado, é preferível desistir da compra.

Use sempre a Tabela FIPE como base para saber se o carro está sendo vendido a um preço adequado. Se o valor estiver muito abaixo daquele mostrado na tabela, suspeite, ainda que a negociação seja com uma revendedora de usados — o veículo pode estar sinistrado ou com pendências judiciais.

Um dos maiores cuidados ao comprar um carro usado é evitar cair em golpes. Tenha muita atenção, principalmente, se você for negociar diretamente com o proprietário. Se essa for a situação, procure saber se a documentação do carro está em dia, examine o estado de conservação dos componentes do veículo, entre outros.

 

  1. Veja se o carro está regular

Em primeiro lugar, você deve pesquisar no DETRAN local se o carro tem pendências, como multas e IPVA atrasado. Outro ponto importante é saber se o carro é objeto de algum processo judicial ou se foi penhorado para satisfazer dívida.

Vender qualquer bem com restrição judicial sem autorização é fraude processual e gera uma grande dor de cabeça para quem faz a compra. Nesse caso, é necessário abrir um processo e, enquanto o veículo não estiver regularizado, ele não pode ser utilizado, sob o risco de apreensão e perda de posse, sem reembolso.

Isso também pode acontecer se o dono anterior não fizer a transferência de titularidade para o comprador. Se ele sofrer processo judicial futuramente, o veículo ainda constará como sendo um bem dele, e poderá ser bloqueado.

Por isso, além de pesquisar se não há qualquer restrição, também é importante cobrar que o vendedor faça a transferência imediatamente. O ideal é que, no dia em que o negócio for fechado, vendedor e comprador estejam juntos para fazer os procedimentos burocráticos.

 

  1. Pesquise a desvalorização

Cada modelo de carro tem uma taxa de depreciação. Ou seja, se você for revender o veículo daqui a dois anos, por exemplo, perderá uma determinada porcentagem do valor dele, de acordo com alguns critérios, como:

  • estado de conservação;
    · ano de fabricação do veículo;
    · quilometragem rodada;
    · histórico de acidentes;
    · alterações como rebaixamento ou troca do modelo dos faróis.

Um carro sofre uma depreciação maior nos três primeiros anos após sair de fábrica. Por isso, a compra de um carro seminovo que foi fabricado por volta de três anos atrás apresenta um bom custo-benefício.

Isso porque o veículo, em geral, ainda não estará tão desgastado quanto um carro mais antigo, mas já terá sofrido uma redução drástica no seu preço. Após esse período, a taxa de depreciação anual diminui.

 

  1. Faça cotação do seguro

O seguro veicular é uma forma importante de se prevenir em caso de acidentes, alagamentos e outros problemas. Porém, é um serviço bastante caro.

Sendo assim, antes de optar pela compra de um carro, pesquise o valor do seguro. É normal achar que apenas veículos novos e de marcas importadas são visados por bandidos, mas há muitos modelos populares nessa lista e que, portanto, têm um preço de seguro elevado.

Geralmente, isso ocorre porque apresentam uma grande taxa de roubos, visando a retirada de peças para revenda. Assim, para garantir a sua segurança e manter o orçamento, conheça o valor aproximado do seguro do veículo antes da compra.

O valor do seguro leva em conta diversos aspectos do motorista e do local onde o carro fica estacionado. O ideal é inserir seus dados junto ao de vários modelos e ver quais têm um preço mais vantajoso.

 

Fonte: Por Racon Blog

 

Compartilhe

Postagens recentes

Sem categoria

Manutenção da Rede Telefônica

Sem categoria

CADEIRINHA DE BEBÊ PARA AUTOMÓVEIS

Sem categoria

Carro para PCD é diferente de veículo ‘comum’? Entenda como funciona

Sem categoria

COMO MUDAR DE MARCHAS CORRETAMENTE